mar 8, 2012 - Poesia    6 Comments

Mulher

 
 
Tua voz, teu olhar, teu ar dolente
Toda a delicadeza ideal revela
E de sonhos e lágrimas estrela
O meu ser comovido e penitente.
 
(Madona da Tristeza, Cruz e Sousa)

 

 

Tem um quê aparente de fragilidade…

Grácil e sensual qual maja nua de Goya!

É meu ideal, meu pensar sem maldade,

Da minha fortuna a mais rara jóia…

Ó formas alabastrinas! Dessa boca

Febril risos, afagos e carícias almejo.

Quando a idealizo de desejo louca,

A vida daria pela ventura de um beijo…

Mas foge vaporosa, como anjo em arremesso…

De lá, do etéreo longe do pensamento,

Acena-me indiferente, fingindo desapreço.

Depois, com ar inocente de madona, tímida,

Para o meu cismar volta quando quer…

Entre beijos e carícias entrega-se Mulher.

 

Fernando Guedes

Pela passagem do Dia Internacional da Mulher

8/3/2012

6 Comments

  • Fernando, obrigada pela sua homenagem, linda, por sinal, e pela delicadeza do gesto.

    Um grande abraço,

    RM

  • Que delicadeza ao falar das mulheres.
    Adorei Padrinho.
    Estamos precisando de exemplos assim.
    Pessoas como você que fazem a diferenca.

    Parabéns!
    Beijo

  • Parabens Fernando pela homenagem ao dia da Mulher.
    Camilo.

  • Gostei. Tanto…que na hora inspirou-me garatujar os versinhos abaixo:

    Isto sim… p´ra mim é poesia
    quando em soneto musical…cantante
    em ricas rimas…bela fantasia
    da alma…o belo vem sorver clamante.

    Desejaria continuar tambem exprimindo desta forma, o meu louvor ao ser que representa para todos que possuem ao menos o mínimo de humanidade o reconhecimento pela nossa existência, alem de toda graça com que nos inebria.

    No entanto a inspiração foge vaporosa
    e só me resta exprimir-me em prosa.
    Não adianta evocar as deusas
    dos gregos plagos…a bela Afrodite,
    ou à sábia Atena que no Olimpo impera.
    Fazer versos, como eu, é dar palpite
    mesmo com empenho p´ra valer quisera.

    Assim sendo,apoiando sua belíssima homenagem â mulher pelo seu dia, parabenizo-o em o fazer com tão bela poesia.
    José Magnavita.

  • Caro Fernando,
    Já ouvi tantas tolices sobre “as mulheres” nestes dias! Ainda bem que há poetas. Gostei e tenho certeza que qualquer mulher que seja de fato mulher deve ter gostado.
    Tomei a liberdade de encaminhar para a Comissão Editorial da AMB para possível inclusão mesmo que extemporânea em relação à data.
    Abraços

  • Fernando,
    Parabéns. Gostei e muito.
    São versos suaves, graciosos e gentis como bem merecem as mulheres.
    Um forte abraço.

Got anything to say? Go ahead and leave a comment!